Sejam bem vindos! Novas postagens aos sábados e domingos, obrigada pela atenção!

O amor



O amor brota no coração das pessoas de uma forma singela,
Se confunde muitas vezes com amizade,
Não é aquela coisa agressiva e vulgar,
Confundida com paixão, desejo carnal e obsessão,
É algo muito mais intenso e muito mais ardente,
É a coisa mais linda que se possa sentir...

O amor vem de dentro para fora e chega sem avisar,
Pode acontecer em qualquer momento e em qualquer lugar,
Não escolhe raça, etnia ou religião,
Não escolhe idade e chega quase sempre adormecido,
Cabe a cada um de nós perceber se ele já chegou.

O amor é algo inexplicável e divino,
Há prova maior que amor de uma mãe a um filho?
O amor se esconde atrás de um olhar;
Existem pessoas que morrem o perseguindo e não se deram conta
que ele estava ao seu lado o tempo todo.

O amor te dá borboleta no estômago, tira sua concentração porém te deixa mais inspirado,
Você se sente feliz e triste ao mesmo tempo, ri e chora por pouco;
O amor tem várias faces, várias cores, mas parece invisível,
Demora a ser diagnosticado e é confundido até com ódio,
E por mais que tentemos fugir não somos capazes de escapar;
O amor verdadeiro é recíproco, quem dá recebe;

Não procure o amor mas também não feche seus olhos da alma,
O amor chega na hora certa e com a pessoa certa,
Tome cuidado somente para não se distrair demais e deixá-lo passar batido.

Menina dos olhos castanhos




Eu jamais pensei que fosse sentir algo assim,
Logo eu que não me importava com ninguém...
Vem uma linda moça e me tira um sorriso,
E faz de meu rosto escorrerem lágrimas sinceras.

Quando eu a vi num canto com a perna ferida,
O corpo miúdo e o lindo rosto escondido atrás da sujeira,
Pareceu que meu problemas não eram tão importantes,
Quanto o daquela garotinha que não tinha ninguém e nem onde morar.
Fui até o botequim mais próximo e comprei um lanche,
E entreguei a ela sem nenhuma pretensão maliciosa, pois eu não sou um crápula,
Um pedófilo, sou apenas egoísta, mas acho que até meu egoísmo se perdeu
quando a conheci;
Então fui até a Justiça e a pedi em adoção, pois por ela senti algo tão puro,
Um amor tão sincero como se ela fosse minha filha;
Custaram horas e meses até que veio a liminar ao meu favor,
E daquela linda garotinha eu poderia criar,
Poderia tratar como de meu sangue, te dar amor e carinho,
Dar ensino, para minha linda menininha dos olhos castanhos.

Imunda Realidade



Eu vou beber seu sangue e seu pudor,
Vou tirar os seus medos e suas esperanças,
Vou torná-lo incomum, fera fugitiva;

Irei tirá-lo do esgoto e aprisioná-lo em uma masmorra,
Não permitirei que chore mas o farei gritar,
Irei tatuar o teu corpo com o meu nome e enchê-lo de cicatrizes,
O farei me idolatrar e ao mesmo tempo me odiar!

Somos vermes desprezíves numa dinâmica simbólica,
Somos plebeus num reinado que finge existir lei,
Somos destruídos por nossos próprios semelhantes,
Somos abortados da regra que diz que somos todos iguais!

Somos as fezes entupidas na privada,
A parte menosprezada pela sociedade,
Somos como pulgas perdidas numa toca de cupins,
Somos a parte da corda que mais fácil arrebenta;

Hei, vamos! Esqueça os bons modos!
Ninguém se importa tanto assim com as regras de etiqueta;
Vamos levantar os pedaços das ruínas e construir muralhas,
Vamos invadir os céus e depredar o inferno!
Aliás, o inferno não é bem um lugar, o inferno são os outros!
São os humanos, não confunda com um tubarão!

Baby, irei cuidar dos seus anseios,
Mas perderá a confiança em todos, pois lhe mostrarei a verdade;
Todos mentem! Eu, você e todos na escala de pronomes pessoais e de tratamento!
Não há quem não minta ou que nunca mentiu!
Somos todos como esperma, começamos como espermatozódes!
Somos uma partícula bem pequena na imensidão do universidade;

Irei te amar e cuidar de você sem pedir nada em troca,
Até o dia em que irei receber tua traição...

Conspiração

Olhem os flashes, as pessoas gritando enlouquecidas!
Será que é algum famoso, um artista de cinema?
Não... é somente alguém que sofreu um atentado...

Se você é daqueles que sentem acuados,
Angustiados, desprezados ou enlouquecidos,
Que pensa que o mundo está mais para seu inimigo,
Que acredita que todos o querem pelas costas,
Você pode estar sofrendo uma conspiração.

Se seu mundo parece estar desabando e o chão
Parece estar abrindo embaixo dos seus pés,
Ou se talvez você perceba que as pessoas te tratam diferente,
Você pode estar somente imaginando ou sofrendo uma conspiração;

Se muitas vezes você se pega sozinho
Em meio de tantas pessoas, se sente excluído,
Pode ser que você esteja causando tudo isso,
Ou as pessoas não o querem por perto por simplesmente não querer,
Ou pode ser também que elas estejam conspirando contra você.

Se por tudo isso você está se sentindo só,
Triste e deprimido, pare e pense: Há alguém que se importa contigo?
Se há alguém nesse mundo que te idolatra e que te adora,
Mesmo que seja somente uma,
Quando se sentir mal pense nela, a veja, fale com ela,
Isso te deixará mais animado e a pessoa mais feliz,
Pois ela, com certeza, não quer te ver sofrer.

Flash Back




Quero reviver o que tive contigo aquela noite,
Por contínuas vezes,
Eu quero te excitar, te provocar desejo...

Toca o LP na sala-de-estar e começo a ouvir,
Por várias e várias vezes tentei te esquecer,
Tentativas em vão, promessas de canto.

Deixo um bilhete ao lado do abajur;
Adoro relembrar os bons momentos, inesquecíveis...
Quero deixá-lo exaurido, arranhar teu corpo todo,
Como num filme eu quero retroceder por muitas vezes...

E eu me sento numa sala de cinema,
Vendo cenas que remetem a nós dois,
Tirando do meu corpo as roupas, logo me torno despida
Indo ao teu quarto meu querido...
Como uma faixa riscada em um CD;

O gosto de nicotina em teus lábios tornou-se alucinógico,
O quero em minha cama, no sofá da sala,
De quatro na cozinha, ou em cima da mesa;

Quero me embebedar com a saliva da tua língua,
Enlouquecer até em mesma não me suportar,
Quero te possuir pois você foi o melhor,
Eu quero reviver e reinventar;

Isso é um jogo, um filme em um DVD,
É uma série de TV, um prazer incessante,
É minha mania, te querer tanto.

Planeta dos ateus




Dinheiro, conforto, exageros, bebidas alcoólicas,
Tudo pura luxúria sem tanta necessidade,
Pessoas queimando dinheiro por ter de mais,
Outras morrendo por ter de menos.

Nossas crianças padecendo por desnutrição,
Enquanto uma minoria se diverte em cassinos e protíbulos;
Pessoas contando cada centavo que muitas vezes falta,
Enquanto há outras que nem sabem o que é isso.

Estamos vivendo no século do caos,
Onde a maioria das pessoas estão se desvinculando de suas religiões
E se apegando aos bens materiais;

Estamos vivendo um caos,
As pessoas se preocupam só com as coisas,
E estão se esquecendo e assassinando os sentimentos.

Menina sensual





Sua boca pequena, seus olhos marcantes,
Rosto de menina, corpo de mulher,
Passou e me deixou marcas, nem seu nome eu sei...

Suas mãos tão pequenas e delicadas,
Seu jeito tão tímido e tão surpreendente a dois,
Faz gravar-me no peito como cicatriz seu amor,
Onde estará agora, meu anjo de luz...

Seus cabelos longos e pele macia,
Estarão onde meu Deus?
Não me caibo em saudade, preciso revê-la!
Pior que não sei de onde veio e nem para onde foi...

É mais que amizade, há amor contido

Venha, me tire dessa monotonia,
A comida já está fria, estou te esperando aqui...
Venha, eu te fiz um café, e se você não quiser, eu te faço um suco...

Venha, me leve para passear,
No cemitério, no cinema, em qualquer lugar,
Só me interessa a sua companhia...

Venha! Que eu quero ouvir sua voz,
Adoro pensar em nós, e em como você me faz tão bem...
Venha... ou se quiser eu posso ir até ai, eu não me importo,
Eu preciso dizer, só pra você... o quanto te adoro...

Nostalgia II

Eu remexi, na caixa de lembranças e encontrei
Um retrato seu e me veio a mente o que vivemos,
Cada beijo dado, cada troca de olhares,
Cada palavra dita, o seu corpo entrelaçado ao meu;

Minha nostalgia não sei se é boa ou ruim...
Nossa história nunca teve fim, fui eu quem parti, decidi esquecer;
Não! Parece que não me importo mas as vezes isso mexe comigo,
Ele foi meu maior amor, um sonho contínuo,
Até eu perceber que esse amor era maldito,
E ver que minha devoção ele nunca mereceu!
Não! Não! Preciso dizer...
Que quase não o penso mas quando lembro é estranho,
Parece que tudo não passou de um sonho,
Que agora só me resta alguns retalhos do que aconteceu...

Eu não aguento! Não aguento lembrar nem do que foi bonito!
Pois logo me lembro das partes ruins,e nisso me apego,
Tento o ver como algo bom que passou na minha vida
Mas ele se tornou um pesadelo,
Eu já nem sei se sinto algo por ele...

Pego o retrato, olho bem...
...e jogo na lareira em chamas....

Nostalgia

Sei que nunca entenderás, um minuto do meu silêncio,
Eu sei que jamais entenderás por que me tornei apenas uma lembrança;
Eu sei que a lua não é de queijo, e também que nada é perfeito.

Eu sei que não entenderás, os meus motivos por ter desistido,
Mas eu também não irei entender por que me traiu;
Eu sei que não é possível contar as gotas de água do mar,
E que um dia eu possa te perdoar;

Ainda sim, eu lembrarei,
Que existiram lindos e belos momentos,
E ainda sim, suspirarei,
Pensando que poderia ter sido diferente,
Porém eu sei, não posso mudar, apagar da memória,
O que um dia vivi ao teu lado.

Vitrine





...Ninguém consegue viver só,
Mas eu não consigo fazer o contrário...

Sou como um manequim numa vitrine,
Sem rosto, sem cor,
Uma manequim qualquer, numa loja qualquer.

Meus cabelos não permanecem mais na cabeça,
Meus olhos inchados não param de chorar,
Sou como um repelente que afasta as pessoas,
Como um alguém na multidão, um ninguém.

Cada tentativa de me aproximar é inútil,
E esse vazio cresce como uma ferida interna,
E quem se aproxima eu acabo afastando.

Sou algo que ninguém quer por perto,
Um ser sem vida parado atrás de uma vitrine,
Um espermatozóide que morre antes se chegar ao óvulo.

Sou como um bebê abortado,
Um um navio naufragado,
Um alimento estragado,
Um cachorro sem dono;

Sou como uma doença sem cura,
Uma boneca inflável furada,
Como um objeto descartável,
Um produto inútil em uma vitrine.

Hipocampo





Minha mente navega pelo o que passei,
Histórias que muitas não quero contar,
Algumas que adoraria reviver,
Algumas que eu adoraria apagar,
Algumas que eu adoraria evitar;

Minha mente é um parque de diversões, uma sala de cinema,
É um depósito de memórias e emoções,
É uma estação de trem com seus vagões,
É a parte de mim que não me permite esquecer;

Ela quem controla minhas lembranças,
Que guarda em mim, minhas recordações,
Que me ajuda a lembrar dos meus sonhos;

É uma parte muito importante dentro de mim,
Que me permite escrever o que penso,

É uma gaveta de informações...

Loira fatal





Esses seus cabelos cor-de-ouro,
Esses seus dois faróis azul-esverdeados,
Essa sua super comissão de frente;
Minha fantasia, deusa do prazer;

Essa sua barriguinha de tanquinho,
Seu corpinho ultraviolão,
Quando bota seu vestidinho vermelho super justo,
Me deixa maluco, me deixa doidão;

Essa boquinha tem gosto de mel,
E o cheiro da tua pele, nem dá pra falar,
E as suas tatuagens que são um charme a mais;
Você é minha musa, minha rainha do Egito;

Esse seu corpinho, pele de pêssego,
Nesses seu um metro e noventa de pura sedução,
Essa sua desenvoltura na cama é incrível,
Ela é perfeita, amo essa mulher.

Sedução



Me seduza quantas vezes for,
Me leve a tua cama com beijos e carícias,
Me dê os melhores beijos que possa dar,
Me seduza outra vez, sei que não preciso pedir.

Os teus olhos são como uma fonte de hipnose,
Tua voz me embriaga e me faz ser sua,
Não... Eu não resisto a tua sedução...

Os teus beijos são tão envolventes,
O teu corpo tão quente e tão másculo,
O teu cheiro tão único;

Tua pessoa é pura sedução,
Tem a carícia mais doce, o fervor mais ardente,
Sabe deslizar com sabedoria tuas mãos em minhas curvas,
Sabe ser maravilhoso e ao mesmo tempo tão imprevisível,
Sabe ser carinhoso e atencioso;

Eu tentei resistir por várias vezes, várias vezes falhei,
Não há como resistir aos teus beijos, as tuas carícias,
Eu eu querer tanto acariciar tuas cicatrizes,
Não consigo resistir a tua sedução.

Você faz de mim pedra-sabão,
Me faz esquecer meus problemas corriqueiros,
Então venha, seduza-me.

Por trás



Por trás de cada face um anseio,
Por trás de cada face, segredos,
Por trás de cada face, uma história;

Por trás de cada sorriso um motivo,
As borboletas usam asas para voar;
Por trás de cada olhar um pensamento,
Por trás de cada um, um sonho;

Coitados são os que nascem abandonados;
Por trás de cada rosto, amores e ilusões,
Por trás do teu sorriso o que cabe?
A tua pele tem cheiro de canela;

Por trás de uma mulher, um homem,
Por trás de um homem, quem sabe?
Por trás das coisas há muitas outras coisas, algumas, fora da nossa compreensão.

Soneto da traição

Nos teus olhos encontro falsidade,
Nos carinhos um toque de maldade,
Nos teus beijos o veneno da infidelidade;

Nos braços de outro pude encontrar,
O que nos teus há muito tempo não encontro,
Piedade peço a tua alma,
Com desprezo me tratou constantemente;

Meu não é você há muito tempo,
Aos braços de outra agora pertence,
As cartas de amor jogou fora e nada disse,
Estamos cada vez mais fingindo o não mais existe;

Como no coração fazer a razão entender
No fervor do pecado traiçoeiro,
Que existe fidelidade?

Amor...

Eu quero um ovo frito com quiabo,
Uma farofa com linguiça,
Uma pizza com mostarda;

Amor... eu quero sorvete com café,
Quero doce-de-leite com filé,
Quero macarrão com chocolate;

Amor... eu quero pão com churros,
Eu quero você com tudo,
Com seus defeitos e manias,
E seus gostos tão diferentes de alimentação;

Amor... eu quero seu amor por toda a vida,
E aceito até toda essa comida,
Por que amar você é maior.

Montanha-Russa

Tem dias que eu sorrio, tem dias que eu choro,
Tem dias que são calmos, outros que são tempestosos,
Tem dias que eu amo, outros em que eu odeio;

Há dias que eu preciso gritar, outros ficar calada,
Tem dias que me sinto bem, outros muito mal,
Tem dias que eu quero abraçar o mundo, em outros cruxificá-lo;

Tem dias que os dias passam devagar, outros que passam rápido,
Tem dias que quero amar, em outros ver a realidade,
Tem dias que quero dormir, em outros ficar acordada;
Hoje levantei com a esperança de um mundo melhor...

Nossas vidas são como uma montanha-russa,
Cheia de altos e baixos, curvas e opções,
O passado não se revive e o futuro é imprevisível,
Mas ele dependerá de nossso atos no presente.

Mania

Quando te vejo, nada mais vejo,
Tua boca a minha chama,
Entro em desespero;

Meus minutos tão calmos se tornam tempestosos,
Eu perco a calma, perco meu silêncio,
Teu cheiro é uma droga, um veneno viciante,
Teus olhos me encantam, nada mais vejo...

A noite tão cinza se torna vermelha,
Eu perco o controle e mais nada dá certo,
Teu corpo me envolve e não sei mais o que dizer,
Só sei que te quero, só sei te querer...

Mentiras me assustam, me assombram os fatos,
Porém quando chega e toca meus lábios,
Do mundo esqueço, tudo vira poeira.

Já não te aguento!





Você não é meu pai nem minha mãe e
Não exerce poder sobre mim!
Você não é meu dono, não propriedade tua,
Eu já não aguento nem te ver por aqui!

Você me enlouquece, me enche o saco,
Se importa com tudo o que não lhe diz respeito,
Só pode ter algum problema, um distúrbio mental,
Pra não me deixar em paz, eu não posso mais!

Você não paga as minhas contas, você não é nada meu,
Vê se te enxerga e cuida da tua vida se tiver uma,
Não posso te ouvir e nem sentir o teu cheiro!

Você é pior que o limão mais amargo,
Me dê umas férias, estou a ponto de explodir!
Já não te aguento, sai fora daqui!

Faces do amor

Tu és como uma estrela,
Mesmo em dias nublados eu sei que está lá;
Tu és a minha sombra, meus pensamentos,
Sinto algo tão intenso que não sei explicar.

Meu corpo no teu forma um só,
Uma fotografia tua basta para eu me sentir mais forte,
Um sorriso teu basta para que eu me acalme.

Te amar é um pecado que estou disposta a fazer,
Dedicar-me a ti é quase uma religião,
Cada lágrima que sai vale a pena pois sei que é recíproco,
E para meu amor eu digo EU TE AMO!

O teu cheiro é melhor do que qualquer perfume,
Te adorar é quase uma mania incurável,
Sem teus beijos não sou nada, perco a identidade.

Substantivos abstratos

Ninguém pode vê-los nem tocá-los,
Cada um tem sua opinião sobre cada um deles,
São os substantivos abstratos, sentimentos confusos.

Vejamos os mais comuns:
Amor, tristeza, alegria, ódio, medo,
Tédio, nojo, inveja;

Todos nós sentimos e não conseguimos evitar,
Esses sentimentos que na gramática são simplesmente substantivos,
São abstratos pois não têm formas e cores;

Há tantos substantivos, só que quase ninguém se liga em gramática,
Mas sabemos que eles são mais que substantivos,
São sentimentos, emoções,
Algo que não podemos comprar, não podemos evitar.

Desistir jamais

Não posso sentir medo de seguir em frente.
Não posso deixar que ninguém me desrespeite.
Não posso deixar perder meus sonhos de infância,
Tenho que escutar meu coração, ter fé e esperança;

Não posso deixar cair uma só lágrima,
Porém se não puder impedir, chorarei até a última gota.
Não posso deixar que ninguém me maltrate,
E que digam coisas horríveis sobre mim, e não são verdade;

Eu tenho que perder a vergonha e ter coragem,
E dizer ao mundo o que sinto, o que sou.
Eu tenho que ser capaz de vencer meus anseios e dificuldades,
Eu não posso esquecer a minha missão na terra;

Eu não posso desistir dos meus sonhos,
Eu não posso desacreditar no amor, por que um deles me traiu,
Eu não posso julgar todos os homens, por que alguns me decepcionaram,
Eu não posso desistir, por que uma tentativa falhou.

Ame as diferenças





A melhor qualidade dos humanos é de todos serem imperfeitos,
Pois imagine quão chato seria se fossemos todos iguais?
Todos com a mesma aparência, mesmos ideais, crenças,
Torcendo para um único time, obtendo uma única opinião?
Não haveria o que despertar interesse, pois seria óbvio o perfil do outro.

São as diferenças que nos chama atenção, e pouco as igualdades;
São as diferenças que nos unem, que nos fazem querer saber mais sobre o outro;
São as diferenças que nos aproximam, que geram diversas opiniões,
Que geram diversos gêneros, gostos, crenças, manias;

Todos somos diferentes, e ao mesmo tempo iguais,
Todos querendo atingir uma grande meta,
Todos querendo viver em paz, encontrar um alguém especial,
Ame as diferenças, são elas que tornam cada um de nós únicos.

Eu sei

Eu sei que te perdi,
Mas só agora eu percebi,
Que tudo que tinha era tudo
E agora, não me restou mais nada,
Mais nada.
Os pássaros já não cantam em minha janela,
As paisagens se confundem,
O sonho se foi perdido,
Já não posso voltar atrás,
Fui tola em não compreender
Que as coisas mais importantes da vida
Eram as coisas mais simples,
Aquelas que a gente não vê;

Viver é,
Escrever, e não ter borracha para
Apagar os erros.

Ódio maldito

Há uma força que me doma
Corre por minhas veias numa velocidade incapaz
Esse sentimento que dentro de mim não deveria estar
Quanto mais tento matá-lo, mais se fortalece
Essa raiva dentro de mim, esse ódio maldito

Isso é um veneno que mata tudo que cerca
Que domina cada parte existente do meu ser
Faz mal, porém parece acolher-me
Já faz parte de mim, dificil distinguir quem é quem;

Tudo me aborrece,
Tudo é monótono,
Tudo me chateia,
Tudo é um tédio;

Isso são apenas sintomas do ódio que habita em meu peito...

Capricho

Por capricho te beijei,
Por capricho me entreguei
Mas não foi por capricho que me apaixonei...

Sinto que sem você não sou nada
Pois contigo tem algo mais
No teu carinho me encontrei...

...Numa noite nublada de inverno...
É equivocado pensar que posso te ter como um jogo
E, ao mesmo tempo,
Será que é amor?

Se é amor não sei, nem ao menos se é apenas paixão
Sei que tudo começou por um capricho meu
E esse capricho me transformou numa escrava,
Numa prisioneira dos teus braços.



Transtornada II

Meu coração está pulsando muito forte,
Ouço vozes pedindo para eu não ir em frente...
A pulsação está cada vez mais acelerada,
Está todo mundo querendo que eu me estrepe.
Preciso seguir, mesmo que meu coração arrebente.

Eu não sou a única, eu sei!
Mas posso mostrar que sou diferente, que sou incomum,
Ser imperfeito cheio de dentes e sangue correndo pelas veias;
Preciso provar a todos que sou capaz.

Por que estou aqui? As pessoas parecem me odiar!
Preciso me libertar, tenho que sair daqui...
Estou no meio de estranhos, esses estranhos querem me destruir!
Um dia eu sairei da caixinha onde estou trancada.

Por favor, alguém me segure, sinto que posso desmaiar...
Meu sangue corre com fervor em minhas veias, dentro do meu corpo.
Preciso me assumir, decidir ser quem sou,
Não posso deixar ninguém me impedir...

Quem sabe

Quem sabe ainda sou uma garotinha,
Esperando o príncipe encantado,
Quem sabe o príncipe virou um sapo;

Quem sabe ainda sou uma garotinha,
Acreditando que inocência existe no coração das pessoas,
Esperando acreditar que não existe maldade;

Quem sabe sou apenas uma criança,
Que não difere a mentira da verdade,
Que é tão frágil e inexperiente,
Quem sabe ainda eu não saiba amar;

Quem sabe eu anda seja uma garotinha,
Esperando os pais chegarem do serviço,
Quem sabe eu seja uma menina má,
Uma eterna garotinha...

São erros

O gosto dos teus beijos
Teu jeito de envolver-me
Faz-me de louca, atriz;

Teus olhos enganam-me,
Mas, ao mesmo tempo,
Contam verdades;

Mentiras tornam-se passivas,
Acaricia, protege,
Conforta-me, com teu corpo,
Envolve-me, em teu calor,
Aprecia as lembranças;

Os desejos enlouquecem-me;
Já não controlo os atos,
Os atos são pensados,
Muitas vezes,
São erros.

Foi tudo tão rápido

Em dias de chuva eu sorri
Em dias de sol eu chorei
Em dias nublados, os dois.

Perdi um amor por não dizer eu te amo.
Vi um amor acabar quando parti.
Descobri o que é um mar de lágrimas.
Quando caí em si e percebi que estava só,
Eu me vi desesperada por um beijo
E se não bastasse, sofri de desprezo.

Vi as horas passarem e nada fiz,
Tanto tempo se passou que não há como corrigir,
Já nem daria, já é passado.

Sofri muito, já não sofro mais.
Antes havia dor, agora vazio.
Antes havia tristeza, agora conformidade.
Eu já não sei chorar, já não choro,
Pouco rio, pouco falo, vivo somente a pensar,
Pensar que poderia ter sido diferente só que não foi
Então simplesmente vivo, vivo intensamente sem rancor, sem amor.
Um corpo vivo por fora, morto por dentro;

Já não sei amar, já não há amor.
Somente suplico, peço,
Por um carinho, por um beijo.

Doce

Doce luz que me invadiu
Doce melodia, que costurou meus ouvidos.
Sem teus olhos, morreria
Perderia-me entre os passos.

Doce magia, que encanta
Doce voz, infinita
Doces lábios, mentiras afáveis
Cantoria,
Pranto;

Doce pele que na minha lua
Suas estrelas se encontraram
Doces versos transcritos na areia
Com o mar se apagou
Doce desejo, ilusões.
Doce desejo, verdades dolorosas.

Doce sabor amargo, do teu adeus.
Doce encanto despertou
Doce tristeza aconteceu
Doces lembranças, guardadas
Doces lembranças, tristes lembranças,
São só lembranças;

E o que acontece comigo?
Se não despertas dentro de mim

Fere-me, dói por dentro
Como punhal, mata aos poucos.
Invade-me, tento matá-lo de meus sentimentos, ingênuos
Fale comigo, diga oi!
Você não sabe o quanto faz mal te esperar.
Por favor, escute
É triste sofrer assim sem razão.

Doces ventos que o levaram
Doce brisa trouxe partes de ti.
Doce tristeza, padecida
Doce sorriso se foi.
Doce encanto se perdeu...

E o que acontece comigo?
Se não despertas, dentro de mim
Fere-me, dói por dentro
Como punhal, mata aos poucos
Invade-me, tento matá-lo de meus sentimentos, ingênuos;
Fale comigo, diga oi!
Você não sabe o quanto faz mal te esperar;
Por favor, escute!
É triste sofrer assim sem razão.

Doces ventos que o levaram,
Doce brisa trouxe partes de ti.
Doce tristeza, padecida
Doce sorriso se foi
Doce encanto se perdeu.
"Não posso querer ser o que jamais irei ser,
Não posso querer que as pessoas gostem de mim,
Não posso apagar tudo aquilo que eu vivi,
Eu não posso abandonar jamais, quem mais me ama,
Eu não posso pedir que as pessoas fiquem ao meu lado,
Eu não quero mudar por simplesmente ninguém me aceitar como sou,
Não quero um amor inventado."

Meus trinta anos

O tempo passou e não sou mais criança,
Já não tenho a pele tão corada e firme,
Já troquei todos os dentes da boca,
Já vivi muitos amores, perdas e ganhos;

É engraçado olhar para trás e lembrar tudo o que passou...
A minha infância, o meu primeiro beijo, minha primeira transa,
Meu primeiro filho, a primeira vez que eu escrevi...

Lembro até hoje dos tão sonhados quinze anos e como
Foi inesquecível esse dia para mim;
Eu lembro da emoção que senti ao meu filho nascer.

A minha pele está um pouco flácida e já começa a parecer rugas,
Os meus modos demonstram a maturidade,
Já passei por muitas situações, emoções e acontecimentos,
E me vejo agora no auge dos meus trinta anos.

Coisas que não existem

Conto de fadas, príncipe encantado,
Perfeição, árvore de dinheiro,
Cura para a celulite e para o HIV,
Super-poderes, direitos iguais para todos;

Se machucar sem sentir dor,
Nunca querer voltar no tempo,
"Máquina do tempo";

Dizer sempre a verdade,
Cultivar com todos, a boa amizade,
Sentir confiança em alguém e não ser traído,
Ter todas as respostas para todas as perguntas;

Convivência sem conflitos,
Todos os amores, correspondidos,
Uma vida sem erros.

Separação II

Diga pra mim, mas não me machuque...
Olha pra mim, não me despreze...
Por favor não me julgue, não me apunhale pelas costas...
Por favor eu peço, não me rotule...

O seu rosto eu desenhei
Num papel qualquer que encontrei
Pelo chão da casa, no meu quarto
Ainda resta um pouco de você.

Diga pra mim, mas não me machuque...
Diga a verdade, mesmo que doa em nós...
Já percebi que a tua boca não procura mais a minha,
Que teus olhos não encontram mais os meus...

Já entendi, o nosso amor morreu,
Não podemos fazer nada pra mudar,
O que resta é eu entender você,
O que resta é você me entender...

Diga pra mim, mas não me machuque...
Diga a verdade, mesmo que doa em nós...
Já percebi que a tua boca não procura mais a minha,
Que os teus olhos não encontram mais os meus...

Diga pra mim, mas não me machuque...
Não tenho culpa que nosso amor se perdeu...
Agora é hora de cada um ir para o seu canto,
Agora é hora de nós nos dizermos adeus.

Insensato coração

Quando é ele quem resolve que é ele que manda,
É certeza que ele vai se precipitar.
Ele afasta a razão de perto e faz o que quer,
Até ela voltar para o seu devido lugar.

O seu problema é que ele sempre diz sim.
Já que a razão se encarrega de evitar, de dizer não;
Ele não pede opinião, simplesmente faz o que quer.

À todos os corações insensatos, dedico este poema,
Para os corações que se entregam de corpo e alma,
Para os corações que não medem as consequências,
À todos os corações apaixonados.

Mataram o romantismo

Estão cada vez mais cruéis, sem escrúpulos,
Hipócritas, mentirosos, safados e despudorados,
Cada vez mais tratando mal as mulheres.

Os homens perderam a gentileza, a educação,
E cada vez mais eles estão com menos juízo,
Esses homens perderam a noção do que é amar
E tratar com respeito as pessoas do sexo feminino.

Os homens estão cada vez mais assassinos,
Seres violentos sem capacidade de entender o mal que causam,
Todos os dias eles espancam, violentam, matam,
E creio eu que foram eles que também mataram os bons costumes.

Procuro entender onde foi parar aqueles homens que nos tratavam bem,
Onde foi parar todo o respeito, carinho e romantismo,
Vocês homens, sabem me dizer onde?

Amizade por além das entrelinhas




Como posso te desejar tanto, sentir tanto prazer?
Eu não posso, não devo, só que é mais forte que eu!
Eu tento resistir, me afastar, mas sei que sua ausência só me faz te querer ainda mais;

Eu não devia querer te sentir, eu não devia,
Não devia querer cada gota de suor que saem de seus poros,
Cada lágrima derramada por um cretino que te merece;

Te desejar me deixa alucinada, perco o rumo,
Ela para mim é como uma droga da mais viciante,
Daquela que quanto mais se prova, mais se quer,
Porém sei que é impróprio te desejar, te amar,
Ela é meu pior pesadelo, meu melhor sonho;

Sua pele é tão aveludada quanto a pele do pêssego,
Sua voz tão ludibriante em sua forma de sedução,
E meu coração já é todo seu, somente seu;

Está cada vez mais difícil omitir o que sinto por ela para o mundo,
E nesta fábula que eu não sei a moral, eu sou a presa e ela o caçador,
E neste mundo sou eu quem te persigo, e ela quem se esquiva.

Boneca de luxo





Não vá pensando que pode me destruir,
Eu não sou uma bonequinha de louça
Que você simplesmente resolveu se desfazer.

Não pense que sou um inseto que pode pisar,
Um chiclete que você mastiga e quando perde o gosto você cospe;
Uma roupa velha que se cansa de usar e a transforma num pano-de-chão;
Eu não sou um brinquedo que você possa quebrar!

Chega desse joguinho de me usar como boneca inflável,
Chega de me rebaixar aos meus esterismos,
Chega de dançar conforme o ritmo,
Sou eu quem dou as cartas agora, sou eu quem decido quem é o vencedor!

Pensou que me faria de marionete,
Só que eu não sou um de seus brinquedinhos,
Não sou mesmo...

Inconstância

No esgoto encontrei uma foto sua, nem seu nome eu sei,
Somente gravo em mim sua imagem bem nítida rente ao meu disco rígido;
Seus traços imperfeitos declarando uma carência...
Não sei como te procurar, onde procurar,
Isso mexeu comigo, na sensibilidade da minha carne;

Queria poder secar suas lágrimas, poder te ouvir,
Diga onde você está, eu quero poder te encontrar!
Eu não sei como nem porque, mas abalou as minhas estruturas...
Eu nunca me senti assim, muito menos por um desconhecido...
Me diga aonde você está, estou me perdendo no meu próprio mundo;

Você me tirou de um abismo profundo porém logo me senti como se eu estivesse
despencando de um desfiladeiro,
Me tira dessa melancolia, venha me procurar,
Estou à tua espera, nas galerias subterrâneas por onde passam os agoniados.

Sonho de criança


Eu chorei tanto por pouca coisa
Mesmo já tendo motivos muito maiores para chorar
Nunca tive um colo para me acalmar...

Quero um sonho de criança,
Quero poder ter quem abraçar,
Ter uma mãe para me acolher,
Ter um pai pra me chamar;

Quero um sonho de criança,
Ser criança e poder brincar,
Não me preocupar com tanta coisa,
Ter responsabilidades, ter que trabalhar;

Quero um sonho de criança,
Ter família e ser amada, o que peço é pouca coisa,
Porém nunca vou ganhar.

A fila anda



Me beija a boca,
Me toca o corpo,
Mexe com meu ego,
Me tira a roupa,
Me faz seu divã;
Me traga um café,
Me tira da rotina,
Faça de mim o que quiser;

Rasga a minha roupa, me faz sua mulher,
Esqueça sua ex, ela não te quer
Esqueça o passado, foi bom mas passou,
Estou eu aqui pra te dar muito amor;
Ela te traiu, te pisou, te usou,
Te trocou por um outro, nem sequer exitou;

Fica comigo, não vou te decepcionar,
Vou encher a tua bola, não irá se arrepender,
Mas meu bem, a fila anda, já disse que com ela não tem volta,
E se não se cuidar ficará sem mim também.

Hora de partir

Quando é hora de partir
O coração aperta, vai entristecendo e sentindo falta,
Daquilo que cultivou durante momentos, pequenos ou grandes,
Em segundos ou dias, num olhar ou sorriso;

Tudo se fecha como se não houvesse mais o que fazer
Você deixa um pouco de si e leva um de tudo,
Deixa algumas pessoas tristes, outras felizes,
Mas sabemos o que é melhor para nós e o destino é quem trilha o nosso caminho,
Escolhe as pessoas e os lugares por onde vamos passar.

Não deixe

Por alguma razão, às vezes perdemos alguém por deixar de falar o que sentimos
Ou por que falamos ou agimos de forma incorreta;
Às vezes, partimos sem nos despedirmos e nos arrependemos por toda a vida,
Ou até, por vezes, por coisas que fizemos ou deixamos de fazer;

Muitas vezes é difícil o porquê de não agradarmos a todos;
Às vezes sabe-se que o tempo está se esgotando e mesmo assim nem tentamos consertar erros cometidos
Ou ajustar ponteiros necessários;

É difícil admitir gostar de alguém... ou não;
É ruim vê-la com outra pessoa
Pior ainda se essa pessoa for nossa amiga
E é insuportável deixar acontecer e calar-se;

É equivocado não gostar de alguém sem motivo,
É equivocado afirmar um amor à primeira vista,
É loucura fugir dos problemas, é loucura fugir das pessoas;

É bobagem tentar adulterar sentimentos,
É inútil fechar os olhos, a boca e os ouvidos,
É inútil tentar esquecer,
É hipocrisia apontar para o defeito de alguém e também obtê-lo;

Não deixe a pessoa partir para perceber que gosta dela,
Não espere que ela vá, para sentir sua ausência,
Não espere que ela parta para dizer o que sente,
Não espere ela partir para pensá-la,
Não deixe de beijá-la com medo de uma rejeição,
Não deixe de dar carinho supondo que a ela não quer,
Não deixe de abraçá-la, pois talvez seja isso que ela mais precisa e não pede,
Nunca deixe de falar, pois talvez um dia ela não mais esteja para ouvir,
Nunca fuja e nunca diga nunca;

Essa noite mais uma vez ela dormirá pensando em você
Ela jamais esquecerá de seus olhos e nem de seus lábios....

Por que abrir mão de coisas para se obter outras?
Por que mentiras existem? Por que não pode ser de outro jeito?
Por que não vemos logo o que as pessoas sentem por nós?
Por que insistir em alguém que não vale à pena?

Por que assim como o amor, a paixão é cega!
São dois ceguinhos que andam lado a lado para nos confundir
E então fica difícil saber quando é amor e quando é paixão,
Mas nem por isso devemos maltratar alguém ou deixar de gostar.

Madrugadas de primavera




As madrugadas de primavera
São como as noites de verão,
As tardes de outono,
Os dias de inverno,
São monotonia.

E a brisa leva o que eu quero guardar,
E a correnteza traz o que eu quero esquecer;
Sentada em frente à piscina,
Jogo-me na água,
E nas borbulhas lembro-me de nós dois;
Deito-me na cama desajeitada,
E tudo me lembra você.

Como as noites de verão,
Como as tardes de outono,
Como os dias de inverno,
Como,
As madrugadas de primavera.

Eu preciso de alguém




Como é ruim ser só,
Como me faz falta o amor estando acompanhado de ausência...

Qual é o segredo que esconde em teus olhos?
Quem agora aqui me consolará e e fará companhia?
Quem me dirá a verdade, mesmo que doa?
Para quem irei dizer eu te amo?
Para quem eu irei pedir desculpas, mesmo sem motivo?
Será que terei que viver de pensamentos?

O onde se encontra o amor?



O amor se esconde na flor do campo que se encontra
Nos cabelos da menina
E dos cabelos, transfere-se para o canto dos pássaros
Que voam ao lindo pôr-do-sol num campo de flores perfumadas.

...O amor se esconde num olhar inquieto
E paira num mar de lágrimas...

O amor se esconde no ventre de uma mulher,
O amor se esconde, ou então, ele não existe;

O amor nos possui sem que possamos fugir,
E nos mata aos poucos como um veneno;

Tão bonito e ao mesmo tempo tão doente é o amor,
Que ao possuí-lo somos nós que nos tornamos prisioneiros,
Num choque de dor e alegria,
Amar completamente...

Só as estrelas podem me ouvir...

As estrelas me dizem que o verei novamente,
As estrelas me dizem que jamais o esquecerei
Elas me contam, que ele está bem e que também não me esquecerá,
Me consolam e dizem para eu ficar bem também, levar minha vida adiante
E não ter pressa nem temer,
Elas me acalmam, pois sabem o quanto o amo,
E por mais que eu tente, não consigo apagá-lo de meu pensamento
E sei que onde ele estiver ainda pensa em mim,
Pois ele não pode ser tão frio e insensível, eu enxerguei amor em seus olhos,
Não pode ser mentira;

As estrelas me contam como suportar a saudade.
Olho para elas e penso que, em algum lugar, ele está as olhando também;

O vazio de não o ter é infinito, mas suporto com esperança de tê-lo novamente;
Mesmo nos braços de outro, é com ele que está meu coração, meu maior prazer, minha dor;
Somente ele arranca o suspiro mais profundo, e, em noites estreladas,
Converso com as estrelas que me ajudam a viver tão longe dele.

Flores e espinhos




Penso mais que falo,
Falo mais do que faço,
Falo menos do que quero,
Quero tanto e não arrisco,
Pois arriscar me amedronta;

Tenho medo de falhar
E nisso me encontro só
Enquanto todos ao meu redor parecem ter alguém a sua espera;
Eu lamento por meu coração não bater mais forte,
Recordando que um dia ele já bateu;

E toda transa quando termina resta somente vazio,
E todo beijo é pouco,
E todo abraço é oco,
E palavras não sustentam
Nesse mundinho tão frio...

Caio em prantos ao lembrar que um dia amei
Na lembrança, incurável ferida
De minha boca partem palavras como lanças
Por meu coração estar machucado...

Todas as minhas amigas tem namorado,
Todos os meus amigos, um caso;
Me encontro só junto a poucos,
E, na ansiedade sei que somente me resta é tempo,
Do qual agora sou inimiga,
Pois as horas parecem não passarem,
Os minutos tão lentos em dias vazios
E com tudo isso já não sei quem eu sou,
Num caminhos de tantas flores e espinhos.

Nosso amor é assim



Uma lágrima, um sorriso
Tudo muda sem sentido
Por favor não me julgue, eu não sou quem você pensa

Meus insultos, ironias
São apenas um disfarce
De quem tem medo de se entregar
Por favor não diga nada

Eu não tenho estrutura
E por isso não admito
Eu nunca quis te fazer nenhum mal
Por favor não diga nada

Nosso amor é assim
Você diz que me ama, eu acho isso ruim
Acho que só quer me levar pra cama
Nosso amor é assim
Paraíso imperfeito, é sempre bom e ruim
Quando a gente se ama
Em meu pensamento...

Eu só peço isso

Não posso te pedir que fique
Nem tão pouco que me ame
Mas peço que me respeite
Pois não faço nada que te prejudique ou te incomode
Eu sempre me mantenho à distância
Te olhando de longe
Para não causar transtornos
Eu não te procuro, não insisto, não peço nada
Mas não posso evitar de pensá-lo e querê-lo
Então fico aqui do outro lado olhando fotos tuas
E nem te incomodo para que fale comigo
Então, só faço um pedido
Por favor, não me trate mal, por favor me respeite.

Aceitando os fatos

Na janela bate um vento forte
Na cama está sobrando espaço
Eu não te sinto aqui, você não está aqui;

Os teus beijos são tãos frios
O teu corpo uma muralha
Eu não te sinto aqui, você não está aqui;

Há fotos e recordações espalhados pelo quarto
E um vazio pelos cantos
Pois você não está aqui, já não te sinto aqui
E já nem sei se me importo com tudo isso...

Separação



Vem aqui sente ao meu lado
Traga o café, se quiser o leite
Escute o que irei dizer, irá doer
Eu já cansei das tuas manias
Onde está a mulher por quem eu me apaixonei?

Era tão bom quando você não inventava desculpas
Quando se entregava a mim, sem frescuras
Hoje já não me beija, não me toca
Parece que desapareceu a mulher cativante por quem em me apaixonei.

Ouça com calma, tudo o que digo
Você era belíssima quando dizia que me amava,
Era tão belíssima, os olhos penetrantes
Um sorriso de menina, um corpo de mulher
Com o tempo o seu amor desapareceu,
Onde está o amor e o carinho que você sempre me deu?

Com o tempo se tornou fria,
Eu fiz algo que te magoou?
Ou foi a rotina que matou o seu amor?

Devemos chegar a um consenso
Pois já estamos chegando ao fim da linha
Eu digo com o coração partido
Que não dá mais para continuar,
A nossa história está chegando ao fim.

Transtornada



Ninguém mais irá me usar
Ninguém mais irá irá me ferir
Ninguém mais irá me tocar
Eu cansei de ser usada.

Vou me trancar em minha casa
E viver uma tortuosa solidão
Sair somente quando necessário
Irei me fechar pro mundo, que me odeia
Irei parar de deixar que me usem, abusem e depois cuspam quando se cansem.

Não irei permitir não mais tanta hipocrisia
De me usarem e eu fingir que estou gostando
Eu só sei chorar, chorar e chorar
Apesar de que que agora não saem mais lágrimas
Eu só quero poder ficar só com os meus pensamentos
Eu só quero poder ficar só... sofrendo num canto

Eu não quero de saber de ninguém, eu quero ficar só!
Já procurei ser uma boa pessoa e só me pisaram
Tentei dar amor e fui desprezada
Quis amar e me machuquei
Não pedi nada em troca e recebi injúrias, inveja, xingamentos e indiferença

Vou jogar fora tudo que aprendi que é bonito
Não quero mais saber de ninguém pois ninguém me merece
Chega de humilhação, eu tenho amor próprio!

Deixa que o tempo vai amenizar
Eu aprendi a calar e ouvir
Porém hoje eu irei dizer tudo que está entalado em minha garganta
Eu não quero saber de ninguém, eu quero ficar sozinha....

Sexo




Sinta no corpo um forte desejo
Um tesão, uma excitação;

Nem precisa de homem ou de uma mulher
Ou das tuas mãos,
A vontade vem de dentro pra fora até não suportar
Então busca de várias maneiras saciar esse delírio assassino
Compra uma hora com uma prostituta, usa as mãos ou até mesmo comete um crime,
Mas não deixa esse fogo queimando esperando apagar.

Busca com um parceiro, amigo, desconhecido ou vítima
Saciar o insaciável por ao menos uns minutos ou horas até se cansar
Mas logo que acaba passa um tempo e volta a vontade
E novamente arranja um modo de aliviar-se.

É pior que um vício, um pecado maldito que não dá para corromper
Quem começa uma vez nunca para, se torna uma tara e por vezes até doença
Se então não mais suporta esse vício procure ajuda ou viva com isso.

Uma grande mentira

Vivi tanto tempo numa mentira
Que já nem sei quem realmente sou
Só agora em repouso com o silêncio
Posso reorganizar-me e redescobrir-me
Às vezes isso me dói mas é necessário
Saber que pouquíssimas pessoas gostam de mim de verdade
Que tenho com muitas poucas pessoas para contar

Não posso reclamar.
Tenho pais maravilhosos e uma boa saúde
Não passo fome ou necessidade
E tenho uma melhor amiga
Mas por muito tempo vivi uma mentira

Minha vida em parte é uma mentira
Busquei amizade de todos para tentar tapar um vazio dentro de mim
Porém não adiantou
Há tantas coisas que fingi gostar só para me aproximar
Há tantas coisas que fingi não gostar por que muita gente não gosta
Por um longo tempo vivi uma mentira

O tempo é precioso e me ajudou a mostrar parte do caminho
Sou amante de todo tipo de arte
Sou poeta, sou atriz,
Pintora, desenhista e artista,
Posso ser o que quiser
Menos continuar vivendo uma mentira.

Que você seja feliz

Queimei fotos e retratos
Pra te esquecer
Já que me resta somente recordações;
Queria saber o motivo
Queria saber o porquê
De tudo ter cabado

O meu desejo é saber onde está
E tirá-lo de vez de minha alma
Queria saber o motivo
Queria saber o porquê
De tudo ter acabado

Há um grande espaço entre nós
Que cresceu sem eu ver
Cada vez mais e mais
Até você desaparecer daqui

Viva sem medo agora
Já que enfim está com outra
Já faz tanto tempo mas ainda não entendo
O que sinto por dentro,
Viva agora sem vergonha
Agora que encontrou a felicidade
A culpa foi minha, foi indiferente
Não dá mais para consertar o meu erro

Pendurei fotos restantes num quadro
Pra eu sempre olhar
Eu ainda não pude esquecer como era bom
Queria saber o motivo
Queria saber o porquê
De eu ter deixado o fim acontecer

Viva sem medo agora
Já que enfim está com outra
Já faz tanto tempo mas ainda não entendo
O que sinto por dentro.

Eu ainda te amo

...Recordarei como se não houvesse acabado,
Recordarei de todas as lindas lembranças aqui comigo guardadas...

Te olharei mesmo de longe, já é suficiente
Te pensarei a cada ato, a cada pulsada
Eu olharei a tua foto, num cartaz publicitário
Imaginarei-o ao meu lado, como meu amado

Eu me casarei contigo, ao menos em pensamento
Terei-o em minhas mãos, para acariciá-lo
Pois meu amor é tão que chega a doer
E por essas e outras, eu te roubarei uma foto

Já te procurei nas ruas e em faixas de pedestres
E quando fecho os olhos, é tua imagem que eu vejo
Teu rosto estampa revistas e jornais
E depois do sucesso, de mim não lembra mais

Irei aguardar por um sorriso teu
Enquanto isso não ocorre recordo tudo
O que já esqueceu,
E na ânsia de tê-lo ao meu lado
Eu te roubo outra foto.

Era tão bom no tempo em que ficávamos juntos
Passeando pelo jardim, abraçados
Nunca se preocupou com nada, dizia me amar
Mas no dia em que a vida te afortunou,
De todos que mais o amam, abandonou;
Te perdi para fama, para o dinheiro e sucesso

Eu me casarei contigo, ao menos em pensamento
Terei-o em minhas mãos, para acariciá-lo
Pois o que sinto é tão que chega a doer
E por essas e outras, te roubo uma foto

Eu sei que um dia irá cair em si,
Estarei aqui esperando o seu retorno...

Afundando em lágrimas



Garçon, me vê aí uma garrafa de wisk
Que eu quero beber com maças desidratadas
Manda aí uma garrafa de vodka com limão
E traga os pepinos em conserva
Que eu quero afogar as mágoas...

Eu vou comer pêssegos em calda,
Vou ter uma overdose de tanto me embebedar,
Mas irei enfim lhe tirar do pensamento...

E assim vou me afundando nesse equívoco
Para esquecer que um dia te conheci;
E assim vou me afundando nesse equívoco
Pois não sei engolir a seco tanta agonia.

Já bebi vários copos, de bebidas divergentes
Já conheci o ódio, a melancolia e a inveja
E em tantos drinks, não sobra mais nem a cereja
Já não quero colo, e dispenso conselhos
Não me olho mais no espelho, os amigos não vejo
E só me resta lamentar pois não caibo em desespero
De saber que nunca irei te recuperar

Agora perco o sono, passo noites em claro
E desabafo com bebidas, porque você morreu.

Temporal de outubro

Ouvindo músicas antigas
Nada a ver comigo,
Fazem-me querer lembrar coisas
Que não sei explicar
Dá-me um aperto no peito
Nesse temporal de outubro.

As horas passam confusas
E eu presa aqui em casa
Sem poder ir ao teu encontro,
Nesse temporal de outubro.

Quero você mais do que ontem
E amanhã vou querer mais do que hoje
Com certeza
Nesse temporal de outubro.

E nada mais vai mudar esse meu jeito
Nem mesmo a chuva, o tempo,
Nesse temporal de outubro.

Se hoje não o vejo
Aperta o desejo, a saudade,
E amanhã se o ver
Farei tudo o que não fiz com você
Nesse temporal de outubro.

Nada mais

Eu sangrei por dentro quando
Você me deixou,
Lagrimas saíram só depois
Que caí em si;
Desculpas já não quero ouvir da tua boca,
Eu me odeio por ter te conhecido, mas,
Antes de tudo,
Eu te odeio,
Por não ter me amado;
Eu só queria
Um amor sincero,
Nada mais.

Orgulho

Orgulho em meu coração partido, desde que o partiste;
Orgulho da dor que eu não tinha até chegares;
Orgulho da minha noite, que no teu olhar nutriu-se;
Entre tu e tua mão um precipício;
O sol se põe em ti;
Não partilhar tua paixão,
Lá no fundo de ti
É então melhor perdeste do que todo o resto,
Que nada mais eu quis,
Parte de mim vai quando o perco;
A distância é de ti até mim meu bem,
Nada mais eu quero,
Além de ti.

Sentimentos revirados

Eu queria desacreditar,
Pois não é fácil compreender tantos altos e baixos.
Necessito ter fé, pois sem fé
Não adianta insistir que não terei progresso.

Eu queria entender
Pois na verdade o que acontece são desentendimentos,
Não é que tudo aconteça comigo,
Mas sim é que tudo isso,
Seja só uma maneira de me fortalecer.

O que é realmente de valor são
Os bons e sinceros sentimentos
E, acima de tudo CARÁTER
Pois sem caráter, somos apenas vermes
Humildade - Não é possível dizer que uns são melhores que outros;
Somos todos iguais;

Sei que o de cada um está reservado,
E que colhemos o que plantamos
E assim recebemos -ou devemos receber- aquilo que semeamos,
E lembrar sempre: Quando partirmos, não levaremos nada conosco
E nossos corpos, serão apenas lixo;
A triste realidade é que o homem de hoje é muito materialista.

O poema dos corpos



O tocar das tuas mãos másculas
Sobre as curvas do meu corpo
Penetrando os seus dedos em minhas entranhas
E passando-as por minhas pernas
Beijando os meus seios e a minha boca sedenta de prazer;
O suor misturado ao meu e o fervor de nossos corpos,
O batimento cardíaco acelerado,
As minhas mãos em suas tatuagens
E a entrega de nossos corpos ao total descontrole;

Se entrelaçam os corpos num pecado capital
Onde homem e mulher levam um ao outro ao delírio.
E depois da entrega, dois corpos cansados sobre a cama
Descansando abraçados, com os mesmos ideias
E depois dessa noite, haverá um flash back?

Mentiras

Quando você diz que me ama
Eu sei que está mentindo,
Você deita na minha cama e me possui
E amanhã com outra está dormindo...
Já não aguento fingir que está tudo bem
Se hoje é comigo, amanhã com outra, e depois nem sei
Eu não posso viver nessa insegurança
Nessa farsa maldita...

Eu sei que é loucura te amar demais
E estar contigo sabendo que você me trai;
Eu tenho medo de te pegar tocando uma outra
E terminar de despedaçar meu coração,
Portanto acho que devemos dar um fim
Em toda essa mentira...

Você mente, vai embora e me destrói
E eu fico aqui agonizando
Depois volta com seu jeito encantador,
E beija minha feridas.
Já não aguento mais fingir que está tudo bem
E dividir você com tantas outras, eu já cansei
Vou arrumar as coisas e ir embora,
Não quero mais saber de mentiras.

Sexo entre mulheres




São mãos delicadas
Um jeito cativo,
Um corpo bem desenhado
Os seios rijos,
Tocando outro corpo
Semelhante ao seu,
São duas fêmeas
Numa transa lésbica,
O gosto dos lábios de uma,
O gosto dos seios da outra,
Num delírio de saciar a excitação
Num sexo homossexual.

Mulheres II

Existem mulheres de todas as cores
Diversas idades, ideias e amores,
Podem ser modernas, tradicionais ou alternativas,
Com têndencia para artista, dona de casa ou empresária

Mulheres confusas, dedicadas ou loucas
Com roupas discretas ou decotes fatais
São todas mulheres, belas ou desajeitadas.

Existem aquelas destruidoras de lares,
Àquelas também com instinto de mãe,
Àquelas que traem, e as que são traídas
São todas mulheres, tímidas ou desenibidas.

Não importa se é apenas uma jovem ou já uma senhora
A elas devemos nossa admimiração,
Não vale ferí-las de modo algum,
Devemos amá-las, você não concorda?

Pedidos

A dor me silencia,
Mata-me de desejo,
Repulsa as mentiras,
Gritas o teu nome;

Já não posso perdoar atos
Que tu fizestes de mau grado;

Quero-te como preciso de ar para respirar;
Cada suspiro teu é uma batida
Em meu coração vazio;
Diga-me e mata-me de prazer,
Suja os lençóis de minha cama
Com teu suor que me envolve
E tua boca que me enlouquece
Deixa-me distante e só,
Como apenas ilusões que fazem
Tristes lembranças de um amor
Que só existiu na minha cabeça.

Bilhete II - Despedida

Diga que me ama
Mesmo que seja mentira
" O anel que tu me destes" - o coração
que tu partistes - Acha que sou forte?
Acha que posso?
Sou tão fraca
Posso sentir até tua respiração
Aqui perto de mim
Mesmo que você já tenha ido embora,
Ainda não te esqueci, mas
Na verdade nunca te amei
Simplesmente gosto da tua presença;
Desculpa pelo o que eu fiz
Ou pelo o que eu deixei de fazer
Não podia eu ser a sombra da outra
A cópia daquela que você
Mais amou um dia
Aquela qual, acho que estou burlando o lugar.

Já cansada

Já cansada desta vida,
Deito-me semenua ao lado da piscina
Olhando uma lua triste e estrelas sem cor;

O silêncio que domina veste-me de tristeza pelos cantos do jardim,
E já não há alternativa senão ficar ali,
À beira de um precipício;

E já não me levanto olhando o céu nublado,
A lua some e começa a chover
Ela molha-me porém é pouca para lavar minha alma
Que perdida está,
Cansada de pedir ajuda
Para um amor desesperado.

Não importa o idioma

Quero ficar só
Parlare sola cosí
Somente vejo luzes de neon
Te quiero mucho
Eu pagaria pra ver teu corpo colado no meu
I am crazy
Passo os dias e as noites a procura de prazer
Y no encuentro tus labios calientes
E aí, qual é a tua?
Sono in assenza di te
Pare e pense: você sabe que sou a melhor
Seamisai
Pois o amor é finito
Te echo de menos
Saudade é intraduzível
I am speak with the heart.

Nada dura

Nada dura para sempre
Estou vivendo este drama por um longo tempo
Tentando me livrar da dor
Porém, sei que amantes vem e vão
Todos precisam às vezes... ficarem sozinhos,
Mas se pudesse curar um coração partido...
Às vezes eu preciso de um tempo... para si mesma,
Às vezes eu preciso de um tempo... totalmente só,
Todos precisam às vezes de um tempo para si mesmo;

E quando seus temores se acalmarem,
E as sombras ainda permanecerem,
Eu sei que você poderá me amar
Por que nada dura para sempre,
Todos precisam de alguém.

Desista

Não queira, depois de tarde
Consertar o que se quebrou
Não há mais tempo, já amanheceu
E a névoa cinza se misturou à chuva...

E há no coração, mentiras
Eu vivo uma mentira, eu sei
Mas não há o que fazer, desista
Não se cura um coração ferido

E depois de tudo você vem atrás
Fingindo não lembrar mais
Dizendo que me ama?!!

E há no coração, mentiras
Eu vivo uma mentira, eu sei
Mas não há o que fazer, desista
Não se cura um coração ferido

Não vai adiantar dizer que se arrependeu,
Agora já passa das 9h
Já está tarde, chovendo
E eu estou preferindo a mentira à tua companhia

E há no coração, mentiras
Eu vivo uma mentira, eu sei
Mas não há o que fazer, desista
Não se cura um coração ferido.

Não espere

Não espere que eu tome a iniciativa
Não espere que eu encontre a saída
Não espere que eu me apaixone
Não espere que eu te procure;

Não espere que eu te chame pra sair
Não espere que eu te beije
Não espere que eu me entregue a você
Não espere que eu me despeça;

Não espere que eu vá chorar por você
E que eu não possa viver longe dos teus beijos
Prefiro a morte a ter que me prender
E ser usada como brinquedo;

Não espere que eu adormeça ao teu lado
Não espere eu pensar em você
Se você quiser eu estarei aqui
Basta avisar, não precisa pedir
E não exitarei, mas...

Não espere que eu te procure,
Pois, se peço que não me espere
É que não quero te sufocar,
Esse é meu modo de dizer que não quero
Você longe de mim.

À procura da cura

Sinto-me como um navio que precisa ancorar
Como a brasa que insiste em estar acesa
Como gotas de uma torneira que não cessam de pingar
Como um sorriso dado sem deciframento;

Estou tão perdida em meus anseios
Que não consigo mais me encontrar
E sinto-me como se só mergulhando em minha dor
Encontrarei um antídoto,
Porém como um câncer esta dor se alastra aos poucos
E nem sei mais como me sentirei quando curada;

Meu coração palpita tão forte que sinto que vou enfartar,
Estou tão tremula que sinto que posso cair,
E na minha dor insisto em mergulhar
Tentando encontrar uma cura.

Mulheres

Mentes,afagas,me enganas
Fingindo me amar só me usas
Me oprimes, me ofendes
Não consigo confiar em ninguém

Caricias, mentiras e farsas
Há quantas mulheres sendo espancadas?
E há quantas sendo assaninadas cruelmente?
Sinto medo de sair na rua...

Não quero mais amar ninguém
Nem um homem, ser inescrupuloso
A cada dia aumenta o ódio e o medo
Será que ainda há um homem bom?

Por favor eu não aguento mais
Ver todos os dias na TV
A violência barbara contra mulheres
Estupros,mortes, muito sangue derramado
Muita dor, e um trauma incurável.

Não consigo me distanciar de você



Não consigo esperar muito de você
Até por que você não me prometa nada,
Porém me sinto bem ao teu lado
É pena que sempre tenho pouco tempo para estar contigo
Você faz eu me sentir um pouco melhor
Tirando-me por alguns instantes de minha monotonia;

Eu gosto de você de um modo desprendido
Que facilita que eu o toque sem tanto medo
Você faz eu me sentir um pouco melhor
Ao menos nos instantes que estou contigo

Não consigo me distanciar de você
Não consigo te dizer não
É como se teus olhos me embriagassem
E que tuas mãos me seduzissem
Tocando o meu corpo de uma maneira diferente
E eu tento fugir mas não consigo, porque
Você faz eu me sentir um pouco melhor
Tirando por alguns instantes de minha monotonia.

Ressuscitando

Cresce a dor em lua-cheia
Agora chove, chove muito
E os mortos se retiram de seus túmulos.
A dor que sentia, agora é mais ardente
Cada lágrima desce cortando
E no silêncio da madrugada
Eu saio pelas ruas
A procura de alguém para sufocar;
Os fantasmas me perturbam outra vez
Cada vez, ouço os seus passos mais latentes;
O sangue que escorrem de minhas feridas volta a escorrer
Parece que tudo que um dia enterrei volta à tona
Cada pessoa, cada palavra, cada gesto;
Cada criança perdida num aborto,
Cada namorado,
Os meus pais que eu tanto amo,
Tudo se torna tortura e
Ao invés de envelhecer estou rejuvenescendo
E ao invés de ir ao futuro estou retornando ao passado.
Meus cabelos estão voltam a cor natural
Estou me tornando criança outra vez
E retorno agora ao dia do trauma que um dia me causaram.
Acho que é a bebida, ou a nicotina ou talvez a maconha.
Talvez eu esteja ficando louca.

Preciso saber

Eu preciso saber,
E imploro ao Deus mais poderoso
Quantos amigos eu ainda tenho de verdade?
Quantos são realmente meus amigos?
Estou sentindo-me muito só!
Diga-me por favor se há algum homem que possa amar-me sem ferir-me?
Que possa dá-me atenção e carinho
Sem apredejar-me depois?

Diga-me ainda tenho amigos?
Quantos ainda estão ao meu lado?
Por favor, eu preciso saber, estou sentindo-me tão só!
Estou cansando-me de procurá-los...
Já estou acostumando-me só, por falta de opção;
Eu preciso saber quantos amam-me de verdade,
Preciso saber quem ainda lembra-me se mim...

Eu imploro, a todos os deuses,
Ajudem-me
Só quero ter alguém para eu tocar
Alguém para eu sentir,
Para eu contar o que sinto, ao menos conversar...
Diga-me, existe alguém que possa fazer-me companhia?
E que eu sinta meu coração bater mais forte e seja eu correspondida?

Quantos ainda são meus amigos?
Todos que pareciam ser meus amigos estão sumindo aos poucos,
Ainda existe alguém para eu conversar?
Por favor imploro, eu preciso saber.

Não sei o que fazer

Prendo-me em meus medos
Refugio-me em minhas mentiras
Eu não consigo acreditar em mais nada
Muito menos nos homens;
Eu sinto-me por dentro tão vazia
E ao mesmo tempo tomada por desejo e caos;
Estou tentando reerguer-me dos danos
Que me foram sendo causados durante tantos anos.

Estou tentando reerguer minha vida
Mas tudo ao meu redor me incomoda
Parece que tudo é uma mentira
E nada faz-me realmente feliz;

Os fantasmas do passado estão tentando me perturbar
Porém isso não incomoda-me mais
O que incomoda-me são as pessoas, ou melhor, suas ações.

Não há mais volta

O que quer que eu faça?
Quer que eu continue pensando em você
Mesmo sabendo que é impossível um retorno?
Já faz tanto tempo, trilhamos caminhos diferentes
E mesmo que eu tenha me mantido só e você também
Você sabe que não há mais volta
E mesmo que eu continue gostando de você
A distância é muita, e os dias passam
Você sabe disso,
Não posso ficar aqui acreditando que voltaremos
Eu não me sinto no direito nem de pensar em você
Fui eu quem caiu fora, fugi para longe
Eu estava cansada de discutir contigo,
E depois ir para um canto chorar
Me arrependendo de palavras ditas e das que deveria ter dito e me calei
Você sabe que não há mais volta
Mesmo que eu ainda sinta algo,
E talvez você também,
Nós somos divergentes, sempre foi assim
E por isso é que discutíamos tanto
Mesmo havendo amor
O que quer que eu faça?
Viva me lamentando por não ter dado certo?
Isso acontece com todo mundo, você sabe disso
Não que fosse diferente conosco não é?
Eu sei que nos veremos ainda, muitas vezes
Mas já não haverá a mesma intimidade de antes
Talvez até lá um de nós já esteja casado ou talvez os dois
E possamos ser bons amigos
Depois de toda a turbulência
Não pode ser tão difícil assim,
Depois de tudo, nós vamos acabar nos vendo
E você me perguntará se estou bem,
E eu terei que me preparar para responder
Não posso demonstrar que estou eufórica por te ver
Assim como sempre foi desde que te conheci
Pois não estamos mais juntos
E nós dois sabemos, não tem mais volta

Estúpido

Não acredito que um dia fui tua;
Eu te amava e você só me usava;
Eu tenho nojo até de nossas lembranças;
Você jamais me tocará outra vez,
Prefiro dar o meu corpo a um desconhecido,
Acho que um desconhecido me trataria melhor;

Já não quero saber das tuas mentiras,
E só de lembrar que você quis ter minha amiga
Sinto a vontade de cortar o teu pênis,
Seu desgraçado! Eu te odeio mais a cada dia
Porém pelo menos isso me liberta para um novo amor;

Agora eu quero alguém que me entenda
E que sacie o prazer que você ensinou-me a sentir
E seu estúpido, vê se me esquece
Já não suporto nem mais te odiar...

Esperança

Estou com uma vontade louca
De conhecer novas pessoas,
Ter novos amores,
De me aventurar;

Fui em busca, e tenho novos amigos,
Amores em construção,
Aventuras em planos;

Está sendo tão bom eu me apaixonando,
Rindo mais, sendo correspondida
Ampliando meus conhecimentos, amizades
E um pouco mais de esperança

Estou reerguendo-me outra vez
Agora já estou melhor, está sendo mais fácil
Recuperar todo o tempo perdido, e voltar a ser feliz.

Amante imaginário



Por que não vem e enche meus vazios de prazer?
Por que não alimenta minha dor com palavras meigas?
Podem ser falsas, todas uma farsa;
Por que não vem e me diz como é bom estar comigo?
Por que não me joga na cama e transa comigo até sentirmos orgasmo?
Por que não não me leva para conhecer lugares novos?
Me tira dessa monotonia;

Por que você não existe?
Me vejo todos os dias e os mesmos passam rápido,
Os relógios não marcam mais as horas;
Me resta você, amante, amante imaginário,
Por que não aparece, vira real?
Te quero com pele, com nome,
Com manias e vontades,
Não mais somente como um fruto da minha imaginação;
Cansei de viver de sua companhia imaginária
Quero que se torne real,
Quero que saia de meus sonhos e me faça um café
Para que tomemos juntos, em frente à televisão.

Amante imaginário, apareça em corpo presente,
Que se torne alguém que possa estar comigo além dos pensamentos,
Que eu pudesse chamá-lo e viesse até mim,
Que um amigo nos apresentasse num dia qualquer;
Simplesmente queria te ter ao meu lado de verdade,
Pois desde que te criei me conformei em estar só,
Pois é como se você existisse, só que longe de mim,
Gostaria que você existisse em alguém e que esse alguém aparecesse para mim
E me fizesse companhia,
Pois às vezes necessito de carinho,
Coisas que uma imaginação não pode me dar.

Anjo meu


Anjo meu que me alucina,
Horas tristes em desalento;
Vejo teu belo rosto formado em gotas d’água cristalinas
Digas-me: qual a fórmula para o amor?
Já procurei no teu sorriso,
Em cada lágrima que escorreu por tua face, por cada gesto
E não sei explicar de onde vem
Tal amor bambino e delicado
Com a força do inexplicável.
Só queria que me dissesse
O quão amor é o teu por mim
Pois i meu é do tamanho do infinito.

Eu te ofereço uma rosa


Eu te ofereço uma rosa,
Com cada qual sua dor
Eu te ofereço uma
Branca,
Por todas as noites de amor
Em frente à lareira,
Sobre a lua, as estrelas;

Eu te ofereço uma rosa,
Com cada qual, sua dor
Cor-de-rosa;
Por suas caricias,
Que foram e já não voltam mais;

Eu te ofereço uma rosa, com cada qual sua dor,
Uma rosa amarela,
Da cor dos muitos lençóis que manchamos;

Eu te ofereço outra rosa,
Uma rosa vermelha,
Da cor da paixão e do desejo
Que tive por ti;

Eu te ofereço uma rosa
Com cada qual sua dor
Uma rosa roxa,
Pétalas que brotaram em meu coração;
Amor que só nasce em coração de trouxa;

Eu te ofereço todas as rosas,
E os espinhos eu retirei;

Eu te ofereço uma rosa negra,
Rosa vermelha envelheceu,
Em seu lugar,
Rosa negra toma meu coração
Que já não bate;

Eu te ofereço uma rosa,
Que diz tudo sobre nós,
Eu te ofereço uma rosa
Azul como teus olhos
Eu te ofereço as pétalas de
Todas as cores.


Eu te ofereço rosas,
Pois meu coração,
Você já levou;
Fique com minhas rosas,
Fico com teus espinhos.

Reencontro


Se não tivesse eu,
Hora para chegar em casa,
Teria me entregue ao teu corpo,
E subitamente, não o conheço!

Seria tua se não fosse
A falta de tempo, os desencontros,
A lucidez, as manias, as tradições,
Os bons costumes, o velho padrão de vida;

Se não soubesse bem que posso me apaixonar fácil,
Eu olharia sem medo para os teus olhos que me embriagam,
Olhos voluptuosos e cheios de incertezas.
Olhos de ressaca, cheios de malícia;

Desejei tanto os teus beijou e enfim os obtive,
E esses podem tornar-se um vicio;
Enquanto lembro cada detalhe daquela noite,
Será que ainda se lembra de mim?

Sou tão louca, obstinada, esquisita;
Você tão bêbado, tão viciado, tão esquecido;
Eu tão confusa, tão perversa e ao mesmo tempo amável;
Você tão amante, tão imprevisível e cheio de pegada.

Afinal, quando será nosso reencontro?
E afinal, será que haverá um reencontro?
Não sei se terá outro encontro,
Mas gostaria de repetir tudo de novo.

Melancolia


Enquanto ouço minhas músicas melancólicas
À companhia do vinho,
Você está transando com minha vizinha da frente.
Tudo posso ver, mas não sangro,
Não sinto dor nem saudade daquela pele tatuada,
Não sinto falta daquela boca cheia de piercings com gosto de tabaco.
Aliás, só Marlboro era o que fumava;
Não sinto mais vertigens das tuas loucuras,
Nem abstinência do teu sexo,
Agora que se deita com aquela maldita
Que não exita em se apossar dos meus restos,
Que por prazer se apodera dos meus sofrimentos,
Que bebe a angustia e dor da minha perda.

Já não me importo,
Se a tua pele não toca mais a minha
E toca a pele da outra,
Se a tua boca não beija mais a minha
E agora beija a boca da outra,
E não me importa se ainda fuma ou bebe,
E não me importa se um dia te venerei,
E não me importa se prefere wisk,
E já não me importa o que te importa,
E já não me importo, pois já não há nada com que me importar.

As tuas tatuagens que brincavam com as minhas,
As tuas mãos que deslizavam no meu corpo,
O teu sangue que se misturava ao meu,
O filho que sem saber eu abortei.

E na verdade ontem descobri,
Que posso te perpetuar,
Num envelope, o resultado
Você será pai.

Não acho que você merece saber,
Mas a criança não tem culpa,
Se ela você não quiser conhecer,
Vá para bem longe e não volte mais,
Direi a ela que faleceu jovem
E que te amei demais.

Insônia


Noites tardias
Passo em claro,
E esse calor que não passa.

Doce insônia que me domina,
Desejo-te e nego a mim mesma,
Esse teu corpo másculo;

Outrora te vejo como um sonho,
Sinto arrepio e ódio quando o vejo,
Tudo ao mesmo tempo;

Sinto que no fundo
Tudo que eu quero,
É que você me dê prazer,
Enquanto isso,
A insônia não passa.

Recordações


Hoje quando você acordar
E perceber que está completamente só,
Lembrará das coisas que poderia ter vivido,
Mas por alguma razão não as fez,
Perceberá quantas pessoas passaram por sua vida,
Quantas ficaram,
Quantas se foram,
Recordará de todos os acontecimentos,
De quantos amigos perdidos,
De quantos amores partidos,
De quantas desilusões,
E perceberá que algo falta,
Lembrará as chances que desperdiçou,
Entre a mesa e o café,
Lembrará de quantas aproveitou,
Quantos corações feriu,
Quantos você guardou,
Lembrará que muitas escolhas foram certas ou erradas,
Pensará por que escolheu outro caminho,
Refletirá se é realmente feliz ou não
E no final, se lembrará de mim.

Possuída


Ando pelas ruas de madrugada;
Deito nos túmulos do cemitério ao lado;
Bebo vinho que encontrei numa encruzilhada,
Transo com caras que nem conheço;
Penso em coisas que não se podem pensar,
E faço coisas que não devia fazer,
Vivo meus dias sombrios como se cada um fosse o ultimo;
Tenho pavor que toquem os meus cabelos,
Gosto do cheiro do perfume alheio;
Gosto que beijem o meu corpo inteiro,
Não diga que sou um brinquedo!

Ah! Garoto insano!
Sou um corpo sem alma e sem pudor!
Eu não sinto remorso pelos corpos que matei,
Nem por todo o sangue que eu derramei.

Eu roubei a tua alma cretino!
Acha que vou devolver?

Noites de inverno


Noites de inverno passo sem ti,
O frio que sinto é mais que monotonia,
Vivo esperando você voltar,
Mesmo sabendo que não é possível;
Minha vida está acabada por não ter você.
O dia e a noite já não são a mesma coisa;
As horas que não passam já me causam danos;
Perco-me em tuas lembranças que já são poucas,
Estou cansada de rodar em círculos,
Já não posso dar gritos no escuro,
Ninguém me ouve...
E até a esperança acabou em cinzas...
Passo o tempo todo cumprindo minha sina
Infeliz, levando a vida que é morte,
Morrer seria a melhor saída.
Acho que não posso mais ficar aqui,
E agora só me resta partir.

Júlia

Gostaria de ser o vento que sopra em seus cabelos,
Poder tocar cada fio, um a um;
Gostaria de ser o batom, aquele que desenha teus lábios
E te deixa tão feminina;
Gostaria de ser um sabonete, e poder deslizar por todo o teu corpo, completamente nu,
E depois, ser a toalha, para secá-la;
Gostaria de ser um retrato teu,
Mas te ver passar por mim exalando teu perfume é muito melhor;
Eu sempre fico ali aquele horário, pois eu sei que você passará;
Gostaria de ser aquele vinho que você tanto adora,
Aquele que você toma sempre às sete da noite, ao som de Bon Jovi;
Jamais enjoaria teu jeito, querida Júlia,
Tenho por você o amor mais ardente, o mais profundo;
O teu perfume não esqueço nem quando estou em casa;
Júlia, teu nome escrevi por toda a casa;
Oh!Júlia! Se eu conseguisse lhe dizer o que sinto!
Eu diria que não tem explicação meus sentimentos,
Que talvez pudesse explicar melhor em gestos;
Mas sei que esse amor que é tão forte em mim
Não passaria nem que um dia você me traísse,
E com outro passasse por mim,
Feliz, e com um filho no colo.

A tua espera



Posso te esperar
É só você me pedir
Não custa nada tentar
Eu sempre irei te ouvir
Eu te amo desde minha infância
Será que não sou paciente?
Você sempre tão tapado,
E eu tão inocente
A vida é curta , e na real
Eu estou sofrendo com a tua partida,
Mas se souber eu, que me ama
Esse amor será meu acalento
E me acalmará com a tua mão em meu rosto
E as lágrimas que escorrem em minha face,
Serão menos dolorosas, pois serão recíprocas;
E meu amor será eterno mesmo que não
Fiquemos juntos, somente uma vez na vida
O resto, é gostar
Sentirei tua falta, mas a perda é necessária.

Tão assim é o amor


Toda vez que eu caio tua mão me socorre;
Toda vez que eu te vejo meu coração dispara,
Minha mão sua, minhas pernas ficam bambas;
Gosto da maneira como me trata, como me toca,
E gosto mais ainda que você me corresponde,
Sinto no peito a alegria de estar ao teu lado,
Se num certo momento, eu sequer imaginaria;
Sinto no peito um forte aperto, se sinto que posso te perder,
E ao escapar de minhas mãos, como farei?
Ao teu lado não existe sacrifício, tempo ou tristeza,
E sei que contigo posso sempre contar,
E sei que não vivo mais sem teus beijos;
Toda vez que seu corpo se entrelaça ao meu,
Sinto prazer, amor, segurança,
Você me traz calmaria,
E num momento mais equívoco
Quis me desmembrar de você
Mas rapidamente voltei em si
E vi que jamais conseguiria
Desmembrar-me do amor da minha vida.

Não há quem nunca

Não há quem nunca tenha amado;
Não há quem nunca não tenha dito um palavrão;
Não há quem nunca tenha chorado;
Não há quem nunca tenha rido à toa;
Não há quem nunca tenha esquecido algo;
Não há quem nunca tivesse um vício;
Não há quem nunca tivesse objetivos;
Não há quem nunca tenha sonhado;
Não há quem nunca tenha se machucado;
Não há quem nunca tenha dito algo da boca pra fora;

Mas há os que que nunca amaram por medo de sofrer;
Os que se policiaram para não dizer palavrão;
Os que juraram nunca chorar;
Os que nunca deram um sorriso;
Os que não esqueceram de nada;
Os que nunca tiveram um vício;
Os que nunca alcançaram seus objetivos;
Os que disseram que nunca se machucaram;
Os que juram nunca ter ofendido alguém;

Mas o nunca não deveria ser usado,
Pois o nunca muitas vezes é uma farsa,
Em muitos casos, encobrem mentiras.
E as mentiram nos machucam,
Então risque do teu pensamento o nunca,
E comece a viver intensamente.

Por que te quero tanto?



Como é difícil te ver todos os dias
Sabendo que não me quer
Você me olha como quem desdenha
Mas no fundo parece que me corresponde
Seu problema é que se considera perfeito,
Por isso só olha os defeitos dos outros.

Não sabe o quanto é ruim não poder te evitar
Saber que te verei hoje e amanhã e depois
E que novamente me evitará
E que me olhará com aquele olhar que me consome
E eu ficarei louca para te ter
Sabendo que é só um sonho
E novamente, de mim, fará desdém

É doloroso não poder te evitar
Tenho que te ver todos os dias
E que não deixará eu, permanecer em paz
É incrível como você mexe com minha estrutura
E meu coração palpita acelerando quando te vê
E ao mesmo tempo ele fica destroçado
Por sentir algo tão estranho com tua presença
Não queria, mas também não sei o porquê eu insisto?
Nunca fui assim, acho que nem sou
Mas te ver é como veneno
Que sei que está me matando pouco a pouco.

Alucinação



Eu sei que te amo
Não é uma mentira
Não me caibo em desejo
Quero ser sua menina
Te amar é pecado
Te querer me alucina
Te beijar me embebeda
Te olhar me fascina
Te abraçar me entorpece
Te ter me vicia
Te encontrar me enlouquece
É melhor que heroína
Não preciso beber
Não preciso fumar
Nem me drogar,
Só preciso da tua companhia
É só me querer
É só me aceitar

Amigos



Agradeço por ter amigos,
Amigos que eu sei que posso contar em qualquer momento
Amigos para todas as situações
Seja qual for meu estado de espírito.

Amigas trajadas de preto e usando all star
Ou não,
Amigos loucos que posso contar para me aventurar
Amigos...

Amigas do cabelo cumprido, preto ou não
Amigos que seguem modinhas corriqueiras
Amigos...

Sei que sem eles eu não seria o mesmo,
Eles fazem parte da minha vida
Eu agradeço por ter amigos.